fbpx

O Marketeiro Gean Loureiro: Do Isolamento Social ao Coronalívio

Publicado originalmente em 27 de maio de 2020

O prefeito de Florianópolis, Gean Loureiro, tem se promovido ao longo dos últimos meses como uma figura de combate “racional” e “técnico” ao avanço do novo Coronavírus. Com um trabalho de marketing muito qualificado, Gean tem despontado como uma espécie de consenso progressista em nível nacional, numa aparente oposição às medidas do governador de Santa Catarina, Comandante Moisés, e do Presidente da República. É preciso, porém, ter a clareza de que essa oposição, bem como essa figura de racionalidade técnica, não passam de uma farsa muito bem articulada e com fins puramente eleitoreiros. Para os moradores de Florianópolis, que acompanham o descompasso entre a marketagem das redes sociais e as medidas efetivadas, essa já é uma verdade há muito evidente.

Os golpes de marketing de Gean iniciam em conjunto com a proliferação da pandemia em Florianópolis. No fim de março, com a confirmação dos primeiros casos na cidade e na esteira do negacionismo do governo federal, Gean publica um vídeo alertando a população sobre a necessidade de “achatar a curva de contágio”, com o objetivo de preservar a capacidade de atendimento do sistema de sáude. Para o prefeito, a perspectiva apontada para a população de Florianópolis seria o isolamento social como uma necessidade para refrear o vírus.

O primeiro elemento da farsa é o contraste entre o Gean do marketing, que defende a necessidade de preservação do sistema de saúde, e o Gean prefeito. Durante toda a sua gestão na prefeitura, ele manteve o gasto com a saúde pública estagnado, fazendo-o inclusive ter a participação reduzida no gasto total. Desde 2013, com o antigo prefeito Cesar Souza e depois com Gean, que essa participação cai. Era de 20,25% há cinco anos e atualmente está em apenas 17,26%. Esse descaso com a saúde municipal, ainda mais grave no contexto da trajetória recente de envelhecimento da população de Florianópolis, se expressa nas débeis estruturas dos Centros de Saúde e UPAs da cidade, além da evidente precarização das condições de trabalho dos servidores municipais da saúde, cada vez mais imersos numa rotina intensa, desgastante e com menor remuneração.

Na esteira dessa primeira contradição, os passos seguintes da prefeitura no combate ao Covid-19 também se mostraram distantes daquilo advogado pelo prefeito na mídia e nas redes sociais. Assim que o empresariado catarinense começou a exercer pressão, por compreender que a pandemia seria um grave baque para seus negócios, o governo de Santa Catarina anunciou a retomada das atividades do comércio e de uma série de atividades “essenciais”. Nesse contexto, Gean grava um novo vídeo se colocando em contrariedade à liberação do comércio propugnada pelo governador, dada a necessidade de defender “a vida e a saúde dos cidadãos de Florianópolis”. Porém, menos de uma semana depois, a prefeitura muda radicalmente de posição, permitindo a liberação do comércio e de uma série de outras atividades “essencias”.

Há, portanto, uma oposição completa entre o discurso que o prefeito tenta construir, ao advogar publicamente por uma política racional de embate à proliferação do coronavírus, e as ações reais da prefeitura. Estas caminham para a completa normalização das atividades na capital, ainda que a trajetória do vírus apresente claros sinais de explosão.

O debate da vez é a retomada do serviço de transporte público no estado. O governo estadual já negocia com as empresas do setor e pressiona os municípios pela volta do transporte. Gean não tardou, e como bom marketeiro que é, imediatamente gravou um novo vídeo onde se coloca contrário a liberação do transporte público em Florianópolis.

É possível esperar que Gean mantenha esse posicionamento? Evidente que não. Tanto a oposição entre marketing e ações reais da prefeitura, quanto sua subserviência aos grandes empresários locais, evidenciam que esse novo posicionamento não passa de mais uma bem pensada ação de publicidade.

Por isso, não podemos sustentar a mínima ilusão com a gestão de Gean Loureiro e seus pares. Sua política é, desde sempre, a política do grande empresariado contra os trabalhadores. Era assim no mundo anterior ao coronavírus e continua da mesma forma durante a pandemia. Não nos iludamos com políticos vulgares, que fazem todo tipo de malabarismo discursivo para esconder a única coisa com que realmente se importam: seus interesses politiqueiros e sua ânsia por ascensão no jogo da apodrecida política oficial.


Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Categorias

Receba os
nossos conteúdos

[contact-form-7 id="488" title="Conteúdos"]

Contribua!